quinta-feira, 14 de julho de 2011

ALÉM DA NOVELA - VALE TUDO O FINAL


A reprise de Vale Tudo se aproxima de seu desfecho, após nove meses de exibição pelo Canal Viva. Pela primeira vez, desde sua estréia em 1988, o espectador pôde conferir a trama na íntegra, com todas as suas vinhetas, efeitos e cenas dos próximos capítutos. O surpreendente e inesperado sucesso de crítica e audiência veio para confirmar o que já se sabia: Vale Tudo é uma trama que representa a alma do brasileiro de uma maneira bastante única e, mesmo  após duas décadas, ainda gera uma forte identificação com o público como nenhuma outra novela fez. O que se espera de um folhetim é sempre uma receita fugaz: ele vem para ditar modismos no período de sua exibição e rapidamente cair no esquecimento após o seu término. Em contrapartida, há o efeito inverso de Vale Tudo na memória televisa: a novela cresceu com o tempo, alcançou um status de clássico, e muitos de seus personagens se tornaram icônicos.

Acredito que o texto de Vale Tudo se tornou representativo não apenas pelo tão falado realismo e a tão comentada crítica social presente em seus diálogos; mas muito também pela construção ambígua de seus personagens. Tomando a amoral Maria de Fátima (Glória Pires) como exemplo,  os autores se preocupam em inserir detalhes aparentemente pequenos que demonstram, ao menos para o espectador mais atento, a sua improvável humanidade. Quando Raquel (Regina Duarte) finalmente encontra a filha fugitiva no apartamento de César (Carlos Alberto Ricceli), Fátima humilha a mãe, a agride fisicamente, a manda retornar para Foz do Iguaçu, e  logo depois entra em um táxi. Dentro do carro, em um choro contido, pede para o taxista parar um pouco e olha para trás em um tom de lamentação. De forma semelhante, após finalmente conseguir separar sua mãe de Ivan (Antônio Fagundes), Fátima não consegue conter o seu sofrimento, estampado em seu rosto em uma bela e brevíssima cena, ao se despedir da mãe e vê-la se mudar para Búzios.

Sutilezas desse tipo surgem nos diversos personagens que polarizam a famosa dicotomia entre o bem e o mal, tornando difícil rotulá-los, por mais que sabemos claramente quem representa cada lado da discussão. Raquel é a grande defensora da honestidade e da integridade; mas não hesita em se tornar amante de um homem casado. Em contrapartida, Odete é uma megera dura e inabalável, mas chora copiosamente ao olhar um retrato de família na casa de Celina, após ser “convidada” a se mudar. De forma semelhante, é difícil não se ver divido por muitas das colocações dos vilões da trama. Recentemente, Fátima dirigiu a seguinte pergunta a sua mãe: “Se esses valores da classe média estivessem certos, você não acha que haveria menos injustiça no mundo”? É o tipo de frase que dificulta responder a perguntar inicial proposta pelos autores de Vale Tudo: “Vale a pena ser honesto no Brasil?”. Afinal, em um gesto de bastante ousadia, a novela não se propõe a facilmente convencer o espectador sobre a supremacia da honestidade, mas problematizar essa questão o máximo possível. E o desfecho claramente demonstra o contrário: a impunidade, a lógica do colarinho branco e o rigor da lei para os mais pobres são fatos irrefutáveis da estrutura social brasileira.

Talvez por esse comprometimento com a dureza da realidade e com a corrupção moral que habita cada um de nós, Vale Tudo permance viva, gerando comentários, ganhando novos admiradores e até conquistando uma nova geração de espectadores. E o Brasil vai continuar, pelo visto por muito tempo, a mostrar a sua cara.


 Por Bruno Machado

5 comentários:

  1. Olá! Estou terminando a novela Vale Tudo, é já estou profundamente com saudades. Não houve uma novela tão boa e tão realista que nos movesse e tão bem escrita como essa. É a minha novela predileta...estou praticamente em lágrimas com o fim que se aproxima. Adorei ter encontrado um blog que fala tudo sobre a novela...Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma paixão imensa por novelas antigas da globo.Quanto a Vale Tudo,nunca assisti a essa novela porque foi ao ar num ano que eu não era nascido,mesmo na reprise, eu era muito novo; seria ótimo assisti a ela no canal Viva ou mesmo em outra emissora.O canal Viva devia ser um canal de televisão comum acessível a todos.Muito obrigado por colocar a história dessa novela!

    ResponderExcluir