quarta-feira, 29 de junho de 2011

ENGANO MATA A VILÃ ODETE

A jornalista Tânia Neves, escreveu esta matéria para o jornal O Globo no dia 23/12/1988, data anunciada como o dia da morte de Odete (que aconteceria no dia seguinte para garantir dois dias de poderosa audiência).
Na matéria, a sagaz jornalista já tinha suposições reais da identidade do assassino (ou assassina). Vale a pena ler.

Amanhã, a milionária Odete Roitman de "Vale tudo" será assassinada. A partir de então e até o dia 6 de janeiro, quando será gravado e apresentado o último capitulo, o telespectador ficará sem saber quem é o assassino. Entre as possibilidades que restaram — depois de gravadas as cenas que livram de suspeitas Fátima e César, e diante do final feliz que está reservado a quase todos os personagens —, seriam apenas quatro os suspeitos: Freitas e Dayse, que foram presos; e Marco Aurélio e Leila, que fugiram do Brasil. Como dificilmente personagens secundários feito a Dayse e o Freitas receberiam dos autores da novela a importante missão de matar a vilã, sobraram Marco Aurélio e Leila. As evidências contra o primeiro são maiores, mas Leila tem tudo para ser a assassina-surpresa. Neste caso, a morte teria sido um grande engano.

No dia do crime, Odete fora desmascarada pela ex-empregada Rute diante de toda a família, interrompendo uma reunião da TCA na qual ela provavelmente diria a Marco Aurélio que já sabia de suas falcatruas. Mais tarde, Marco procura Odete no apartamento dela, levando dentro da pasta documentos e seu revólver. Enquanto conversa com Odete e tenta convencê-la de que conseguiu para a TCA um contrato bastante vantajoso, a arma fica ao lado da pasta. Odete diz a ele que sabe que aquele contrato é falso. Marco fica zonzo e quer saber o que Odete fará contra ele. A cena termina com Marco bem próximo da arma.

Num dos últimos capítulos, entra um flash-back do que aconteceu na rua no momento em que a Polícia chegou ao prédio de Odete: Marco Aurélio esta lá, próximo das pessoas que comentam detalhes sobre o assassinato. Ele fica sabendo que o porteiro viu Fátima entrar e não a viu sair, sendo esta a principal pista para desvendar o crime. Vendo César se esgueirar entre os carros per to dali, Marco Aurélio o aborda e sugere que ele estaria saindo do apartamento de Odete. César nega, mas Marco Aurélio insiste e o convence a colaborar com ele, acusando Fátima.

Por que Marco Aurélio quereria acusar Fátima, se ele tinha visto justamente César perto do local do crime? Porque o porteiro acusaria Fátima, e não César. E Marco Aurélio admitiu diante de César que precisava proteger uma determinada pessoa. Se ele acusasse César, o aproveitador poderia conseguir provar sua inocência e isso atrapalharia seus planos. Seria Tiago a tal pessoa a proteger? Talvez. Mas, quando no último capítulo, Fátima trava um diálogo — a princípio incompreensível — com Poliana, fica claro que não é Tiago o assassino, mas Leila. Eis o diálogo:

- FÁTIMA — Mas logo eu? Por que Poliana? Essa mulher só pode ser maluca, onde é que já se viu?

- POLIANA — Se você acha isso mesmo, Fátima, é porque você ainda tem muito o que aprender, sabe?...

O diálogo não se casa com nenhuma outra possibilidade, a não ser a seguinte: Fátima chocada ao saber que era ela o alvo de Leila, que matou Odete por engano. A traída Leila teria ido ao apartamento de Odete porque sabia que Fátima estava lá, e sua intenção era se vingar da amigada-onça que tentou roubar-lhe o marido. Ao ver o vulto de Odete atrás de uma porta interna do apartamento, Leila pensou que era Fátima e atirou É totalmente contra a moral das novelas que uma traição qualquer não seja descoberta e vingada. Esta foi, talvez, a falha maior dos autores: tentar esconder de todos a autoria do crime e deixar não resolvida essa questão. Resultado: logo se associa uma coisa à outra. Além de tudo Marco Aurélio e Leila mentem que ela chegou ao Rio, de volta de Itaipava, no dia seguinte ao crime, quando a volta foi no mesmo dia. Ai o leitor se pergunta: mas não seria o próprio Marco Aurélio o assassino? Provavelmente não. Quando César, ao ser chantageado por ele, lança essa possibilidade, Marco Aurélio é taxativo: "se eu tivesse mesmo matado, perderia a oportunidade de contar isso para você, única pessoa que não poderia fazer nada contra mim?".

Marco Aurélio dá dinheiro e passagem aérea para Fátima fugir para Buenos Aires e imediatamente avisa o delegado Arnaldo de que ela está indo para o aeroporto. Arnaldo e o detetive Veiga pegam a moça com a boca na botija. Só que quem matou Odete foi Leila, que tranqüilamente vai conseguir fugir com Marco Aurélio em seu jatinho particular, levando junto o filho Bruno.

Este é um final logicamente deduzido a partir do script da novela que foi entregue à imprensa. Como os próprios autores ameaçaram modificar o final caso fosse revelada antecipadamente a identidade do assassino, não é certo que você veja essa versão na sua TV. Afinal, vale tudo.

Por Tânia Neves
Jornal O Globo
23/12/1988


Declare seu amor a Vale Tudo! Envie um depoimento, texto ou vídeo para o e-mail valetudonoviva@hotmail.com
Nós publicaremos no blog!




Assista o Capítulo 192 exibido nesta terça-feira

3 comentários:

  1. Cesar!
    Para ter motivos para incriminar Fátima e se livrar da acusação.

    ResponderExcluir
  2. Impressionante como a autora desse artigo "acertou" tudo a partir dos scripts dos autores que havia enviado aos jornalistas. KKKKKKKKK

    ResponderExcluir